Conceitos

Autotranscendência
Capacidade especificamente humana de sair de sua esfera e de se fazer participante de algo ou alguém que está no mundo e que não seja a própria pessoa.

Conformismo
Atitude de fazer o que os outros querem, ou o que a sociedade prescreve como padrão de comportamento. Em geral, não há uma reflexão sobre o que deveria fazer ou o que quer fazer, pois não há uma visão clara do seu para quê viver.

Consciência
Órgão especificamente humano que ajuda o ser humano a encontrar sentido. Frankl caracteriza a consciência como transcendente, inconsciente e intuitiva. O atributo de transcendência indica que a consciência aponta para valores e deveres que estão no mundo.

Dimensão espiritual
Dimensão que diferencia os seres humanos dos animais, se constituindo como a dimensão genuinamente humana e de onde se originam todos os aspectos positivos do ser humano, tais como: busca de sentido, liberdade-responsabilide, intencionalidade, preocupação como valores éticos estéticos, religiosos etc. Tais fenômenos não podem ser reduzidos a dimensão psicofísica.

Espiritualidade
De forma geral é definido como busca de sentido. Inclui também todas as perguntas e inquietações existenciais que são caracteristicamente humanas, tais como: Qual o sentido da vida? O que é o Bem? Para quê viver? O que significa amar? De onde vim e para onde vou? Também abarcam atos intencionais, liberdade e responsabilidades, busca do sagrado, bem como preocupações com valores éticos, estéticos e religiosos. A dimensão espiritual pode ser sintetizada como aquela onde provém os fenômenos genuinamente humanos.

Finitude
Característica ontológica do ser humano que estrutura a sua existência como um ser-para-a-morte.

Liberdade
Constitui-se de todas as possibilidades de escolha que estão disponíveis ao ser humano (atitudes e ações) nas situações concretas, apesar de tudo aquilo que o condiciona.

Logoterapia
Sistema teórico terapêutico criado por Viktor E. Frankl, que objetiva a cura por meio do sentido. Para esse teórico o sentido possui um efeito terapêutico no ser humano e é uma condição necessária para a sua realização como pessoa.

Logo-educação
Educação que se preocupa com as questões existenciais dos educandos, sobretudo com a busca de sentido para a vida.

Logo-educando
Aquele ser agente, que busca e dá uma resposta a vida.

Logo-educador
Qualquer profissional que se preocupa com o cuidado do ser, seja em ambiente escolar ou não.

Logovivência
Constitui-se na experiência vivencial das pessoas simples na consecução de valores pautados por princípios de consciência.

Niilismo
Concepção filosófica que nega a existência de valores e sentidos no mundo.

Noodinâmica
Tensão saudável entre o ser e o dever-se, ou seja: a vida sempre se apresenta, em seu caráter de missão, algo pelo qual o indivíduo precisa alcançar (valores) e depositar no seu ser passado.

Nous
Palavra grega que significa mente ou espírito.

Noético
Dimensão dos fenômenos específicos da espécie humana, derivando-se todas as preocupações com valores, ética, estética, senso de humor, senso religioso. Inclui também a liberdade e os atos intencionais.

Projeto de vida
Dimensão ontológica do ser humano que envolve o passado (as realizações), o presente (as seleções do que irá para o passado) e o futuro (possibilidades de sentido que estão por vir).

Reducionismo
Constitui no ato de explicar um fenômeno superior reduzindo-o a uma explicação inferior, o que pode gerar uma desumanização quando se trata dos fenômenos autênticos da existência.

Responsabilidade
Ato de assumir uma missão ou responder a vida de forma consciente.

Sentido da vida
Dimensão da existência humana que se constitui como valores únicos e irrepetíveis para aquele ser humano específico.

Valores
Numa perspectiva ontológica, apresenta-se como objetos que estão do mundo e que exigem realização. São vias para a realização da vontade de sentido e se manifestam por meio da tríade: vivencial, criativo e atitudinal.

Vontade de sentido
Motivação primária do ser humano que anseia realizar valores e sentidos. A vontade de sentido está diretamente proporcional à percepção de sentido, assim, quanto maior a percepção de sentido maior a vontade de realizá-lo, por outro lado, uma diminuição da percepção de sentido resulta em um enfraquecimento da vontade de sentido, emergindo as vontades de poder e de prazer.